O que faz um Psicodramatista na prática?

O Psicodrama foi criado pelo romeno Jacob Levy Moreno, entre os anos 20 e 30 do século passado. Médico e filósofo, estudioso do homem e de seus vínculos relacionais, Moreno amava o teatro. A principal finalidade do Psicodrama é facilitar o contato do indivíduo com suas próprias emoções, utilizando os recursos da dramatização. Atualmente, a metodologia é largamente usada em empresas, escolas, comunidades, além de psicólogos e psiquiatras que utilizam em seus tratamentos. Ela está presente em workshops, em centros de recuperação, em terapias e é utilizada como instrumento de avaliação em processos seletivos. Em sua aplicação, um dos elementos chaves é o psicodramatista. Mas, o que faz um psicodramatista na prática?

O Psicodrama consiste em uma metodologia de manejo e intervenção com foco na criatividade e espontaneidade. Várias técnicas psicodramáticas são utilizadas durante o processo e aplicadas por um profissional habilitado, denominado psicodramatista.

Princípios teóricos básicos do Psicodrama

O Psicodrama procura levar a pessoa a entrar em contato com questões que estejam dificultando sua atuação em situações cotidianas, por falta de espontaneidade e criatividade. Cada sessão permite uma experiência existencial, estimulando respostas criativas e espontâneas na vida. O papel do psicodramatista é coordenar todo o processo, considerando os alicerces teóricos nos quais a metodologia é fundamentada.

Criatividade e Espontaneidade

A espontaneidade e a criatividade funcionam como dinamizadores psicológicos. As atuações são pautadas nesses dois conceitos e são reguladas por eles. Criatividade e Espontaneidade são recursos inatos do ser humano, mas podem sofrer alterações devido aos sistemas e regras sociais aos quais o indivíduo está submetido.

Com o Psicodrama, é possível trazer à tona situações, sensações e sentimentos que ajudam a reconhecer e a reconstruir a personalidade. Essa depuração, conseguida através de técnicas específicas, proporcionam o restabelecimento da espontaneidade e da criatividade. Com isso, o indivíduo torna-se capaz de dar respostas novas e adequadas a problemas com que se depara no dia a dia.

jornada online FEBRAP inscrição gratuita Psicodrama

Para despertar a Criatividade e Espontaneidade do indivíduo, o Psicodramatista se baseia em alguns conceitos básicos:

Empatia

É a capacidade de sentir e perceber o outro em determinada situação.

Tele

Refere-se à “dupla empatia”, momento em que ambos conseguem se reconhecer, sentir e perceber o outro mutuamente.

Teoria dos papéis

Durante toda a vida, a partir das interações com o mundo, o ser humano vai assumindo infinitas funções, na família, na sociedade, no trabalho ou até consigo mesmo, o que no Psicodrama denominamos como papéis.

Matriz de identidade

É uma das bases do Psicodrama, sendo a coexistência, co-ação e co-experiência, conforme as fases de desenvolvimento dos papéis.

O que faz um psicodramatista?

Ancorado no referencial teórico, prático e metodológico, o diretor de Psicodrama valoriza o aqui e agora, em prol da liberação da espontaneidade e da criatividade do indivíduo. Combinando ação intuitiva e compreensão intersubjetiva, cria um ambiente para a co-criação e a investigação, onde todos os envolvidos (terapeuta e paciente, facilitador e grupo, etc) assumem o status de pesquisadores.

Existe um vasto e consistente caminho teórico que o psicodramatista deve percorrer, munindo-se de um arsenal de técnicas que usará em sua atuação profissional. Assim, há um campo aberto de possibilidades na utilização do Psicodrama, seja nas terapias, na área social, educacional ou empresarial.

A ação dramática

O Psicodrama se desenvolve passando por três estágios:

1 – O aquecimento

Compreende a preparação do grupo ou do indivíduo, quando se definem a cena, o enredo e o protagonista ou tema protagônico. É fundamental garantir o envolvimento nessa etapa, que é o que faz um psicodramatista bem preparado.

2 – A dramatização

É o momento da atuação dramática, embasada no roteiro definido pelo aquecimento.

3 – O compartilhamento

Participantes da dramatização apresentam suas impressões e percepções, concentrando-se nos seus insights e como a cena refletiu na sua consciência para novas respostas.

Elementos da cena psicodramática

 

 

Baseados no modelo teatral, são definidos cinco elementos:

Palco – condições e ambiente criado pelo grupo e Diretor para que as ações dramáticas ocorram. 

Protagonista – personagem ou tema destacado para as ações dramáticas do encontro.

Egos auxiliares – pessoas que contracenam com o protagonista.

Plateia – demais participantes que acompanham a dramatização, quando o Psicodrama é aplicado em grupo.

Diretor – atua garantindo o bom desenvolvimento da cena, que é mais um aspecto que demonstra o que faz um psicodramatista.

Técnicas psicodramáticas

Aqui entra a boa formação do psicodramatista, com a escolha adequada das técnicas que realmente correspondem ao momento dentro do Psicodrama. Cada uma delas tem uma função, que corresponde a estágios do desenvolvimento da matriz de identidade. O envolvimento com o tema e a experiência depende da competência na seleção correta das técnicas psicodramáticas.

Todo o processo, desde a escolha da cena até o compartilhamento final, é norteado pelas técnicas e exige responsabilidade, expondo o que faz um psicodramatista. Cabe a ele promover todos os esforços no sentido de envolver cada participante e protagonista em cada fase da experiência.

Quando aplicado em grupo, mesmo os membros da plateia perceberão uma conscientização e uma libertação emocional, ao participar e contribuir nas etapas do Psicodrama. Há crescimento e enriquecimento psicológico de todos os integrantes do grupo, pelas descobertas sobre suas próprias vivências refletidas na cena dramática.

Qualquer profissional que procure uma metodologia de trabalho que lide com o ser humano, com grupos e com o resgate da criatividade e espontaneidade, encontrará isso no Psicodrama. Dessa forma, entenderá profundamente o que é e o que faz um psicodramatista.

Acesse o site da Federação Brasileira de Psicodrama, conheça suas federadas e acompanhe as novidades sobre Psicodrama.

Você também pode gostar:
O que é Psicodrama e porque você deveria estudar ainda neste ano

 

 


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/febrap/www/wp-includes/functions.php on line 4552

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/febrap/www/wp-includes/functions.php on line 4552